Disseminada nos Estados Unidos e copiada no resto do mundo, a Black Friday é um evento do varejo marcado por descontos agressivos em diferentes lojas.

Se você é um varejista que está na ativa há mais de um ou dois anos, já deve ter participado da temporada de Black Friday, fazendo suas promoções e experimentando diferentes modelos de oferta durante uma das mais importantes datas do varejo da atualidade.

Desde então, quase um ano se passou e já estamos novamente às vésperas de uma nova Black Friday e surge novamente a dúvida:

“A minha empresa está preparada?”

Segundo dados do G1, 66% pretendem aproveitar data para antecipar compra de Natal, e apesar do cenário econômico estar incerto, a pesquisa divulgada pela Zoom mostrou que 95% das pessoas pretendem comprar na Black Friday deste ano e 66% estão pensando em aproveitar a data para já comprar os presentes de Natal.

Mesmo assim, é importante cuidar para evitar erros comuns que acontecem durante a época da Black Friday que podem acontecer tanto com comerciantes já experientes com temporadas promocionais quanto para empresas de primeira viagem na data especial de vendas.

Por isso, preparamos uma lista com algumas dicas para você se dar bem nessa Black Friday:

1) Crie promoções reais na black friday

Aquela história de fazer “metade do dobro do preço” não funciona mais. A cada edição da Black Friday, o consumidor – e o Procon – está cada vez mais ligado para não cair em armadilhas. Para não ficar longe da realidade, faça uma pesquisa de mercado na concorrência, veja por quanto estão oferecendo os produtos e tente se enquadrar nos preços praticados.

 

2) Prepare a equipe

Se você tiver uma loja física, é preciso ter uma equipe bem preparada e com conhecimento sobre os produtos que oferece. O atendimento pode ser fator determinante para o sucesso da sua loja durante a Black Friday, por isso, você deve proporcionar sempre o melhor aos seus clientes.

Importante: os vendedores devem estar instruídos a oferecerem as promoções aos clientes além dos itens que eles estiverem procurando. Isso pode aumentar o ticket médio da sua loja.

 

3) Garanta a infraestrutura para receber seus clientes

Além de uma equipe preparada, você deve garantir que a infraestrutura (principalmente da loja virtual) está pronta para atender a demanda de uma Black Friday. Reflita:

– Na loja física, você conseguirá atender todos os clientes que espera com o número de caixas (PDV) que possui?

– Na loja virtual, a sua plataforma é robusta o suficiente para receber um grande número de acessos? Há limite de pageviews?

Quem tem e-commerce e quer vender bastante durante a Black Friday, não pode achar que a mesma infraestrutura de rede usada durante o ano se aplica em uma hora dessas.

Investir em mais banda para receber picos de acesso é fundamental, cuidando acessos por computador e mobile.

Segundo o jornal Gazeta Online, 91% do público que afirmou ser ativo no uso de e-commerce, afirmou que fará algum tipo de compra durante a Black Friday no Brasil. Caso seu site não esteja preparado, você pode perder boas vendas.

Para cada segundo de atraso no carregamento da página de um produto, a satisfação do cliente cai 16%, segundo informação da Aberdeen Group Research. As conversões, então? Essas caem 7% a cada segundo que sua página atrasa o carregamento.

“Preciso investir?”

Às vezes, para fazer dinheiro, é preciso gastar um pouco. Faça uma avaliação de sua estrutura de vendas online e veja se ela está pronta para a Black Friday.

Se essa não é sua primeira Black Friday, avalie como a estrutura de sua operação se comportou no mesmo evento no ano passado. Ela teve instabilidades? Isso resultou em vendas perdidas?

Planeje e, se necessário, invista para que sua operação online esteja a melhor possível para receber e atender os consumidores. Você sentirá a diferença disso nas vendas.

Tenha resposta para cada uma dessas perguntas e, caso algo ainda esteja pendente, busque uma solução antes que chegue o tão esperado dia e acabe deixando seus clientes na mão.

 

4) Prepare sua vitrine

Para lojas físicas algo interessante é criar espaços na vitrine e no interior da loja sinalizados com produtos que estão participando da Black Friday. Além de ajudar os vendedores a direcionarem os clientes, esse tipo de iniciativa faz com que chame a atenção de quem está passando pela rua.

Para lojas virtuais, prepare banners especiais que direcionem os usuários para as páginas dos produtos com desconto. E não esqueça de investir na divulgação do seu e-commerce, tendo sempre em mente que ser encontrado no Google garante chances maiores de venda.

 

5) Analise os descontos que pode dar

Sua loja não pode correr o risco de ter prejuízos na Black Friday. Escolha um mix de produtos que valha a pena colocar em oferta, como produtos com pouca saída, por exemplo. Uma dica para precificar seus produtos é utilizar o markup, que ajuda a calcular a porcentagem que você pode ter de lucro e ainda pagar todas as despesas da sua loja.

 

6) Analise seu estoque para a black friday

Você precisa fazer uma análise o quanto antes do seu estoque, principalmente se a sua loja é virtual. Para aqueles produtos que têm grande saída, mas você acha importante colocar nessa promoção, converse com seus fornecedores e veja se eles têm capacidade de entrega para a data.

 

7) Invista em divulgação da black friday

É muito importante que o seu público saiba que você está participando da Black Friday. Chame a atenção da sua loja através de redes sociais, e-mail marketing, anúncios pagos, propagandas locais, etc. Você precisa dizer que está com descontos imperdíveis para que o cliente chegue até você.

 

8) Não subestime o poder do e-mail

Apesar de muito se falar no varejo omnichannel, combinando lojas físicas, aplicativos mobile e e-commerce em uma experiência integrada, vale lembrar que muitos consumidores ainda consideram o e-mail como uma ferramenta confiável de relacionamento com as lojas que eles gostam, ou uma fonte para saber das melhores ofertas.

Então cuidado se sua empresa estiver dedicando recursos de marketing digital apenas para um lado: não esqueça do e-mail!

 

Pense em estratégias atraentes de se destacar em meio aos e-mails, entregando bons preços e bons produtos na caixa de entrada do cliente.

Além disso, o e-mail é um canal que pode funcionar para outras coisas, como recuperação de carrinho abandonado – tenha uma estratégia para fazer isso mais rápido, já que a Black Friday é um evento de tempo limitado.

Se sua loja tiver integração do e-commerce com lojas físicas, use o e-mail para convidar o comprador a visitar a loja, oferecendo vantagens de poder levar o produto na hora.

 

9) Observe os dados, sempre

Quem já tem experiência na Black Friday não tem desculpa para não usar seus dados, aproveitando ao máximo as informações para potencializar sua relação e personalização com os consumidores, assim como preparar as lojas para oferecer as melhores promoções e criar campanhas de marketing mais assertivas.

Entretanto, em muitas lojas, não é isso o que acontece.

Segundo a consultoria Absolutldata, é comum em diversos varejistas definir primeiro uma campanha para a Black Friday, e depois definem o público-alvo, muitas vezes sem sintonia com o que realmente ocorreu em outras Black Fridays.

Sem o uso dos dados, muitas campanhas acabam ficando na base da tentativa e erro, ou seja, podem ser bem menos eficientes.

Observando os dados, fica mais fácil definir quais são os perfis de clientes que gastam seu dinheiro durante a Black Friday, em que eles gastam e como eles gastam, definindo como atingir cada perfil com as promoções e produtos que mais valem a pena.

No ano passado, mais clientes compraram à vista devido à descontos?  Então, essa pode ser uma estratégia a ser mais seguida.

Os eletroeletrônicos foram os produtos que mais saída? Então talvez seja uma boa dica colocar estes produtos em maior destaque.

 

10) Cuidado ao superestimar a Black Friday

Especialmente no Estados Unidos, lugar onde a Black Friday foi criada e popularizada, muitos especialistas já apontam que datas especiais de compra, daquelas que levam gigantescas quantidades de consumidores para as lojas, já não são as mesmas de antes.

Campanhas de marketing cada vez mais pulverizadas e constantes ao longo do ano, assim como ações pontuais de cada loja, aos poucos enfraqueceram a presença da Black Friday nos olhos de muitos consumidores.

O que isso quer dizer? Bem, se você usar a Black Friday para fazer promoções não muito diferentes das que sua loja faz ao longo do ano, seu consumidor vai perceber isso.

Mais atento ao mercado, hoje ele usa apps para comparar preços em diferentes épocas e ver qual é o melhor momento para comprar – seja ele Black Friday ou não.

No final das contas, o conselho de muitos especialistas é o seguinte: é melhor parar de tratar a Black Friday como um dos maiores eventos de venda do ano, e sim como uma data importante em um calendário extensivo de ações para atrair o cliente.

Usando boas estratégias de marketing (inclusive observando cada período do ano), cuidando do atendimento e garantindo bons preços para o cliente certo, através de personalização, suas vendas podem ser boas o ano inteiro.

Esperamos que essas dicas o ajudem você a vender muito nessa edição da Black Friday.

E aí, já está preparado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu